Prefeito fala em paixão por Ibirapitanga (Foto: Ubatã Notícias)

Prefeito fala em paixão por Ibirapitanga (Foto: Ubatã Notícias)

O Ubatã Notícias entrevistou, nesta quinta-feira (1º), o prefeito de Ibirapitanga, Isravan Barcelos (PSD). Na entrevista, que durou cerca de 30 minutos, o gestor, que também é médico, falou sobre as dificuldades e realizações de sua gestão, sobre o legado que pretende deixar, sobre a sua paixão pelo município: “Eu não tenho outra paixão que não seja Ibirapitanga”, garantiu. Confira a entrevista exclusiva a seguir.

UN – Qual avaliação o senhor faz dos 07 primeiros meses de governo?

IB – Uma avaliação positiva. As dificuldades foram muitas, mas acredito que as conquistas superaram todas as adversidades. Não tivemos uma transição de governo como deveria ter sido e por falta de informação com que a gente tenha uma dificuldade a mais. Temos uma expectativa de fazer mais e de fazer mais rapidamente. Frustra perceber que a condição da administração pública tem um limite que é maior que a gente que aquilo esperava. Então, avalio que já fizemos muito. Acredito que Ibirapitanga já vive um novo momento.

UN – Em termos de obras, quais foram as novidades da gestão?

IB – As obras, inicialmente, podemos reportar que temos recuperado o patrimônio da prefeitura, o patrimônio público. Na zona rural, já foi feito um número importante de recuperação de escolas rurais, já recuperamos também todas as unidades de saúde da família, já recuperamos a unidade do Cras, já demos uma geral na sede da Secretaria de Saúde. Agora em matéria de obra nova, temos ainda este ano uma perspectiva boa. Fomos contemplados com recursos do governo federal para trabalhar com as unidades de saúde. Temos também para realizar com recursos próprios no setor de educação cerca de R$ 2 milhões de reais. Então, teremos muitas novidades ainda este ano para Ibirapitanga e para os distritos.

UN – Ibirapitanga está com o nome negativado no Cauc e portando impedida de firmar convênios com a União. Como está o andamento para deixar o município adimplente?

IB – Para o município ter a oportunidade de oferecer mais em termos de obras, é importante que se estabeleça parceria com o governo do estado e com o governo federal, e para isso devemos está com o Cauc, que nada mais é do que um CPF do município. Ele se encontra com pendências, estamos tratando, mas há pendências que dependem da gestão passada. Temos mantido contato com o ex-gestor que tem sido sensível e inclusive tem, da maneira própria dele, tentado colaborar. Acredito que em até 30 dias tenhamos a situação do Cauc resolvida.

UN – Ibirapitanga talvez seja um dos municípios mais difíceis de administrar por causa dos distritos, relativamente grandes. Como equacionar o problema?

IB – De fato não é fácil, mas há municípios em situação ainda pior, como é o caso de Camamu. Mas vamos a realidade de Ibirapitanga, que tem um território que antes era de 600 km² e que hoje tem menos de 500 km², mas os nossos distritos representam uma parcela significativa de nossa atenção. O que temos feito é descentralizar as nossas ações. Temos hoje administradores que possuem autonomia para gerenciar os problemas dos distritos e com isso conseguimos chegar aos distritos em tempo real. Então, temos uma situação harmoniosa entre a gestão e os distritos. Os administradores de Itamarati, Novo Horizonte e Camamuzinho têm feito um grande trabalho. Então, acredito que descentralização é a ferramenta para atender o município com cerca de 500 km² de extensão.

UN – A sua gestão vem sofrendo críticas por falta da merenda escolar nas instituições escolares. Qual é a origem do problema?

IB – A transferência de recursos federais se dá de forma regular desde que o município contemplado com essas transferências mantenha atualizado o sistema de prestação de contas. O que aconteceu com Ibirapitanga nos programas PDDE, PNAE e PNAD é que faltou a prestação de contas de 2011 e 2012. Com isso, a ação do governo que iniciou seria apresentar ao governo federal uma representação no Ministério Púbico relatando os fatos, o que foi feito em tempo hábil. Ainda em janeiro justificamos que não poderíamos prestar contas por falta de documentação da gestão anterior. Estive pessoalmente em Brasília e foi verificado que todo o processo se apresentava regular, mas a burocracia até hoje, com um custo da insatisfação das crianças nas escolas, é o terceiro mês que deixamos de receber as transferências do PNAE – Programa Nacional de Alimentação Escolar. Então, resumindo, a transferência não está regular e estamos trabalhando para resolver o problema o mais breve possível.

Entrei limpo e sairei limpo, diz prefeito

Estamos empenhados em corrigir as falhas, diz Isravan Barcelos (Foto: Ubatã Notícias)

UN – Dá para falar que sua gestão recebeu uma herança maldita da gestão anterior?

IB – Eu diria que outros prefeitos que receberam os seus municípios em situação muito pior. Talvez tenha faltado do ex-gestor maturidade para finalizar a sua gestão de forma democrática, política. Acredito se tivéssemos feito, como manda o TCM, uma transição de governo tranquila, adequada, os problemas teriam sido minimizados. Muita coisa que aconteceu na finalização da ex-administração certamente não foi do conhecimento e da responsabilidade pessoal do ex-gestor, mas infelizmente aconteceu. Então o patrimônio, as instalações foram depredadas, inclusive o ex-gestor prestou queixa na delegacia. Não estamos empenhados em apontar o que não deu certo na gestão anterior, mas em corrigir as falhas.

UN – A zona rural de Ibirapitanga é bastante extensa. Como a gestão municipal tem oferecido apoio técnico e logístico ao homem do campo?

IB – Temos uma Secretaria Municipal de Agricultura cujo foco é a zona rural em suas diversas peculiaridades. Então, o Secretário de Agricultura se preocupa desde as estradas vicinais, ao desenvolvimento sustentável, aos problemas de saúde, aos problemas de educação. A gente sabe que zona rural é trabalhada em segundo plano pelas administração. Diferente pensamos, diferente executamos. A zona rural é prioridade de nossa gestão desde o início de nosso governo, quando executamos o melhor serviço de terraplanagem que os moradores da região do Revés já viram. Tivemos ações ainda em ramais na zona do Funil, Cajazeiras, nas proximidades dos distritos de Itamarati, Novo Horizonte. Estamos dando atenção em saúde, educação, infraestrutura, enfim, todos os setores.

UN – Qual problema do município a gestão Isravan Barcelos ainda não conseguiu sanar?

IB – Historicamente, o município de Ibirapitanga e também os municípios brasileiros possuem um comprometimento com folha de pessoal grande. Este é um desafio para Ibirapitanga, para o gestor e para o Brasil. Acredito que 70% das gestões municipais se encontram fora dos limites legais com despesa de pessoal. Sabemos que hoje parte desses municípios são responsabilizados de maneira muito dura. Então o grande problema que convivemos hoje, ontem e ainda não sabemos como equacionar são os gastos com o pessoal.

UN ­– Atualmente, quanto da receita corrente líquida do município é utilizada para pagamento de pessoal?

IB – A receita corrente líquida do município tem uma média, até hoje, de R$ 3,2 milhões mês. Disso, mais de 50% é de Fundeb, e o gasto com pessoal está em torno de 60%, quando o limite estabelecido pelo TCM é de 54%.

UN – Qual o modelo de administração da gestão Isravan Barcelos?

IB – O modelo é trabalho, planejamento e execução. Como eu disse na campanha, a gente tem de ter fotografado antes e apresentar uma fotografia melhor amanhã. E isso a gente não faz senão com planejamento, e não alcançamos os resultados se não tivermos uma equipe comprometida, harmônica nessa direção.

UN – Já há uma definição sobre os deputados que serão apoiados pela atual gestão?

IB – A gente tem uma programação. O grupo, a aliança que foi vitoriosa teve como representação principal de deputados o deputado estadual, que já acompanhos, que é Ângelo Coronel, e temos ainda como deputado federal, duas figuras, que são os deputados Roberto Brito e João Leão. Então, temos essas três figuras, mas temos outros deputados amigos que devem ter a nossa consideração, como os deputados estaduais Marcelino Galo e José de Arimatéia e o deputado federal Valmir Assunção, pessoas importantes que merecem ser lembradas pelo povo de Ibirapitanga. Até a eleição teremos a definição de dois nomes: um deputado federal e um deputado estadual, sem deixar de agradecer e lembrar que é importante o município ter representação.

UN – Neste sábado Ibirapitanga completa 54 anos de emancipação política. Como estão os preparativos para a festa?

IB – 52 anos de emancipação [prefeito corrige informação do Ubatã Notícias]. A gente entende, enquanto municipalista e apaixonado por Ibirapitanga, acredito que não deveríamos passar sem um evento cívico. Então fizemos uma programação que contemplará todos os públicos: crianças, adolescentes, adultos, melhor idade. Teremos atividades folclóricas, artísticas e musicais, além de missa solene, apresentação de fanfarra. Haverá ainda distribuição de brindes, que atenderá a critérios sociais.

UN – Qual legado a gestão Isravan Barcelos pretende deixar ao final dos quatro primeiros anos de mandato?

IB – Eu entrei limpo e quero sair limpo. Encontrei uma Ibirapitanga suja e quero entregar uma Ibirapitanga limpa. Acredito que o maior legado que o povo pode ter é dizer ‘tenho honra de ser de onde eu sou’. Se eu conseguir isso, a gente fica na história.

UN – Considerações Finais.

IB – Gostaria de dizer que ser prefeito é uma responsabilidade maior na vida de quem tem respeito por si e pelo seu município. Para mim é um fardo muito grande, mas ao mesmo tempo é uma honra muito maior. Acredito que Deus nos deu está responsabilidade e não vai deixar de nos usar como ferramenta para termos uma Ibirapitanga melhor. Eu não tenho outra paixão que não seja Ibirapitanga, eu não tenho outro berço, o meu berço é Ibirapitanga, eu não descanso em outro lugar, eu só descanso em Ibirapitanga. Eu não sofro em outro lugar, eu só sofro em Ibirapitanga. Então, acredito que o nosso dia a dia é essa mistura de desafio, de desabafo, de encrenca, de vitória, de derrotas, mas que no final das contas a gente perceba que o final seja positivo. Então, um grande abraço a todos de Ibirapitanga, continue acreditando na administração, numa política diferente, pois a política só será diferente quando houver políticos diferentes e povo diferente. Parabéns a Ibirapitanga. A vitória de Ibirapitanga é a minha vitória.