Foto: Reprodução

A empresa sul-coreana Lear, com filial em Honduras, foi denunciada por proibir seus funcionários de irem ao banheiro, com a obrigação de fazê-los usar uma espécie de fraldas, única e exclusivamente com o objetivo de aumentar a produção. O dirigente sindical Daniel Durón, que fez a denúncia, assegura que o caso só veio à tona depois de vários esforços em nível internacional, já que, em um primeiro momento, a Lear impediu o acesso para que autoridades nacionais verificassem as acusações de violações aos direitos dos trabalhadores, informou o site da rede de TV RT. A companhia sul-coreana tem contratados cerca de 4 mil empregados, que trabalham na fabricação de arneses, espécie de gancho muito usado em alpinismo, que são exportados para os Estados Unidos. (Bahia Notícias)