Foto: Juiz Paulo Irion/CNJ

Um homem de aproximadamente 80 anos está preso irregularmente no Ceará, após ter sido detido na década de 1960. Isso porque ele recebeu o alvará de soltura em 1989, após ter a pena extinta pela Justiça, mas continua preso no Instituto Psiquiátrico Governador Stenio Gomes (IPGSG), em Itaitinga, na Grande Fortaleza. De acordo com o portal G1, o caso foi identificado durante o Mutirão Carcerário que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) realiza no Ceará desde 7 de agosto. “Acho que este ser humano, em uma cadeira de rodas, usando fraldas, deve ser o preso mais antigo do Brasil, pois a informação é de que ingressou no sistema prisional na década de 60 do século passado”, afirmou o juiz Paulo Augusto Irion, um dos coordenadores do Mutirão Carcerário do CNJ. A avaliação do órgão é de que outras 5 pessoas estejam na mesma situação do Ceará, sendo que o caso citado será avaliado pelo Conselho, que tentará resolver a situação. O nome do detento e a causa da prisão não foram divulgados. (Bahia Notícias)