Foto: Divulgação

Mais de 20 laudos divulgados neste sábado (7) pela Polícia Civil confirmam que o garoto Marcelo Pesseghini, de 13 anos, matou a tiros o pai, a mãe, a avó e a tia-avó, antes de cometer suicídio, no dia 5 de agosto, em Brasilândia, zona norte de São Paulo. Conforme os documentos, a mãe do menino, a PM Andréia Pesseghini, tinha o nome “Marcelinho” tatuado no pé direito. Um comunicado de confirmação sobre a presença de Marcelo na escola no dia do crime foi encontrado no sofá. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo, porém, o inquérito ainda não foi concluído, pois polícia aguarda a quebra do sigilo de telefones da família para seguir as investigações. (Bahia Notícias)