Foto: Reprodução/Hans von Manteuffel/O Globo

Mesmo ainda não oficializada, a candidatura presidencial do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, já abala a tradicional parceria nacional entre PSB e PT. A legenda socialista anunciou, na tarde desta quarta-feira (18), a entrega dos cargos que possui no governo Dilma Rousseff. De acordo com comunicado divulgado pelo peessedebista, através do Facebook, apesar do fim do casamento, a sigla não deve compor a oposição, mas analisará o apoio no Congresso caso a caso. “Em reunião da executiva nacional, o PSB decidiu, por unanimidade, entregar os cargos que hoje ocupa no Governo Federal. Decisão acertada, coerente e correta. Estamos cada vez mais convictos que temos a liberdade e o direito legitimo de debater os rumos políticos do Brasil”, afirmou o presidenciável, ao se referir à reunião de emergência do partido, realizada em Brasília. Segundo informações obtidas pela Folha de São Paulo, a ruptura teve o apoio de praticamente todos os membros da Executiva, com exceção do governador do Ceará, Cid Gomes, um dos principais aliados de Dilma dentro da sigla, que disse considerar “intempestiva” a medida. Ainda nesta quarta, Campos deve oficializar o desembarque em audiência com a presidente. (Bahia Notícias)