“Eles foram dar os pêsames aos familiares de Seu Muniz”, contou a esposa de Elder

A esposa de Elder Moraes, morto no início da tarde deste domingo (21) por um grupo de ciganos em Barra do Rocha, disse que o seu esposo era inocente. “Meu marido não teve relação alguma com a morte de seu Muniz, no dia que ele desapareceu, Elder estava trabalhando na firma e logo após chegou em casa e me contou que estava feliz porque seria promovido na SPA”, contou Geane, ex-tesoureira do município barrochense. Ainda de acordo com a mulher, no momento do crime, Elder, acompanhado do seu amigo Vilson Rodrigues, foi até o local dar os pêsames aos familiares de Muniz Cigano, encontrado morto em uma roça de cacau próximo a cidade. “Todos os dois morreram inocentes, não tinham culpa alguma”, diz Geane. Em relação ao desentendimento entre o seu esposo e o filho do cigano morto, ela informou que realmente o rapaz tinha uma dívida de R$ 1.800,00 da venda de um veículo, mas que em momento algum o seu marido fez ameaças. O corpo de Elder será velado no Templo da Igreja Batista de Barra do Rocha e logo após será conduzido para Ibirataia, onde será sepultado. O corpo de Vilson será transladado até o estado do Maranhão onde vive a sua família. A polícia segue com as investigações em busca de pistas do verdadeiro autor do assassinato de Muniz Cigano. As buscas pelos ciganos que mataram os dois homens também seguem com o apoio da Caerc, PETO e Polícia Civil. (Giro em Ipiaú)