Patrícia Motta, de 19 anos, está presa

Uma garota acima de qualquer suspeita. Assim era observada Patrícia Motta dos Santos, 19 anos, acusada de participação na tortura e assassinato de uma adolescente de 16 anos no dia 20 de junho, no município de Camacan. A acusada foi surpreendida por policiais em seu local de trabalho, após um adolescente, apreendido pelo mesmo crime, ter apontado Patrícia como comparsa na morte de Ariele Santos Silva. A motivação do crime seria uma dívida com traficantes. A vítima foi morta com golpes de faca, paus e pedras, e o rosto ficou completamente desfigurado. Segundo informações da polícia, Patrícia teria fugido no dia do assassinato, mas voltou à cidade, retornando a sua rotina normal até ser presa no último dia 28. Ela foi transferida para o Complexo Policial de Pau Brasil, para evitar que a população tentasse invadir a delegacia local. Mais três envolvidos no assassinado estão sendo procurados. Com informações do Bocão News.