O pai se irritava com o choro do filho (Foto: G1)

O pai se irritava com o choro do filho (Foto: G1)

Um lutador de artes marciais suspeito de matar o filho de 2 anos com golpes de jiu-jitsu no último dia 24 de julho se entregou à polícia na madrugada desta quinta-feira (14). Tiago Ahmar de Moraes se apresentou na delegacia de Foz do Iguaçu, no Paraná. Segundo informações do G1 Paraná, o crime teria acontecido na cidade de Vinhedo, em São Paulo. Ele tinha um mandado de prisão expedido desde o dia 28 de julho e estava foragido no Paraguai. O lutador deve ser encaminhado para São Paulo ainda hoje. De acordo com a mãe da criança, Cristiana Costa, Tiago estava sob efeito de drogas no momento da agressão. O menino teve traumatismo craniano e perfuração de órgãos vitais e morreu após ficar uma semana internado no Hospital de Clínicas da Unicamp. A princípio, os pais da criança relataram que o menino havia caído de um brinquedo. Os profissionais de saúde desconfiaram da versão e acionaram o Conselho Tutelar. Posteriormente, Cristiana justificou a omissão dizendo que estava sendo ameaçada por Tiago. Ainda segundo informações do G1 Paraná, Cristiana afirmou que havia visto o lutador bater na criança poucas vezes, e isso costumava acontecer porque Tiago se irritava com o choro do menino. (G1)