Júri popular decidiu classificar o crime como homicídio doloso

O motorista Luciano Rosa Macedo, 36 anos, foi condenado na última terça-feira (26) a 92 anos de prisão pela morte de quatro pessoas e por lesões corporais em outras duas. O júri popular decidiu classificar o crime como homicídio doloso – quando há a intenção de matar – já que, segundo a polícia, ele dirigia embriagado. Para o Ministério Público, não há precedentes para o tamanhão rigor de uma sentença em casos do tipo. Geralmente, penas tão altas são dispensadas a pessoas envolvidas em chacinas. De acordo com a Folha de S. Paulo, os advogados acreditam que a Justiça passa por uma tendência de endurecer a punição para quem comete crimes no trânsito sob efeito de álcool ou em acima da velocidade permitida na via. O caso aconteceu em maio de 2012, quando Macedo dirigia em uma estrada de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo. Ele tentou fazer uma ultrapassagem em local proibido e bateu de frente em um Corsa. A mulher dele e três sobrinhos morreram e ocupantes do outro veículo ficaram gravemente feridos. (Bahia Notícias)