Sex, 15/07/2016 às 22:08 Família acusa professora de agressão contra criança Euzeni Daltro Tags: policia denuncia dom avelar agressao salvador agora Recomendar COMENTÁRIOS (0) -AA+ Edilson Lima | Ag. A TARDECreche na qual teria ocorrido a agressão a menino fica em Dom Avelar - Foto: Edilson Lima | Ag. A TARDECreche na qual teria ocorrido a agressão a menino fica em Dom Avelar A família do garoto G. C. S, 4 anos, acusa uma professora do Clube de Mães de Dom Avelar/ Educandário e Creche Renovação de lesionar a língua da criança com uma faca. Segundo familiares, o menino é aluno da instituição e foi agredido, na última quarta-feira, 13, na creche localizada na rua Raposo Tavares, no bairro de Dom Avelar, em Salvador. "Meu filho voltou da escola com a língua cortada e a orelha esquerda machucada. Ele disse que deu língua à professora e ela meteu a faca", afirmou a mãe do garoto, a dona de casa Joátila Bispo Conceição, 28 anos. Garotinho mostra lesão sofrida. Ele precisou levar três pontos no corte

Garotinho mostra lesão sofrida. Ele precisou levar três pontos no corte

A família de um garoto de 04 anos acusa uma professora do Clube de Mães de Dom Avelar/ Educandário e Creche Renovação de lesionar a língua da criança com uma faca. Segundo familiares, o menino é aluno da instituição e foi agredido, na última quarta-feira (13), na creche localizada na rua Raposo Tavares, no bairro de Dom Avelar, em Salvador. “Meu filho voltou da escola com a língua cortada e a orelha esquerda machucada. Ele disse que deu língua à professora e ela meteu a faca”, afirmou a mãe do garoto, a dona de casa Joátila Bispo Conceição, 28 anos.  Segundo ela, o menino disse à irmã de 9 anos que bateu o rosto na mesa. Duas tias da criança, uma de 13 anos e outra de 16 anos, voltaram à instituição. “A professora disse que ele não chorou e achava que deveria ter batido a boca na mesa ou no parque”, contou a tia de 16 anos. A professora e as tias levaram a criança à UPA de São Marcos, onde foram orientadas a buscar uma unidade maior. A mãe levou o menino para o Hospital Geral do Estado (HGE), onde levou três pontos e foi medicado. A versão sobre a agressão ter sido cometida pela professora foi dada pela criança em conversa com a mãe. “Foi minha professora que cortou porque eu tava correndo”, disse o menino. Na manhã desta , na casa da avó, em Dom Avelar. “Foi a unha dela. Ela puxou assim”, disse ele sobre o ferimento na orelha. O caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada de Repressão a Crimes contra a Criança e o Adolescente (Derca). (A Tarde)