Cientistas estão cercados por pelo menos 10 ursos polares

Cinco cientistas estão cercados há mais de duas semanas por pelo menos dez ursos polares adultos e seus filhotes na ilha de Troynoy, ao norte da Sibéria. A ilha fica a centenas de quilômetros da costa da Rússia, o que dificulta tentativas de ajuda. O grupo está no local para pesquisas em uma estação meteorológica, segundo o site Exame. Em 29 de agosto, os ursos chegaram a matar um dos dois cachorros da estação. Por estarem presos, os cientistas não têm a possibilidade de realizar observações meteorológicas. Também não há mais sinalizadores usados para assustar os bichos. Na tentativa de ajudar o grupo, o governo russo enviou mantimentos, sinalizadores e cães de guarda, mas os materiais devem demorar um mês para chegar devido à inacessibilidade do local. Até o início de novembro, a probabilidade é que o mar ao redor de Troynou congele. Dessa forma, os ursos poderão deixar a ilha em busca de comida. No entanto, o aquecimento global pode impedir que isso aconteça, e os cientistas permanecerão reféns por mais algum tempo. (Bahia Notícias)