Líder sem terra foi morto em 2013 (Foto: Divulgação)

A polícia prendeu, na quarta-feira (11), em Iguaí, no sudoeste do estado, o fazendeiro Délcio Nunes Santos, o comerciante Márcio Fabiano Cunha Borges e os vaqueiros Arenaldo Novais da Silva e Neuton Muniz da Silva. Eles são acusados de envolvimento no assassinato do líder sem-terra Fábio Santos Silva, que foi atingido com, pelo menos, 15 tiros no dia 2 de abril de 2013. Além de Délcio,Márcio, Arenaldo e Neuton, a polícia tenta prender o fazendeiro Welder Leonardo Gusmão Amaral e o vaqueiro Ricardo Neves de Oliveira, que são considerados foragidos pela justiça. O assassinato do líder sem-terra ocorreu na comunidade de Palmeirinha, em Iguaí. Os acusados pelo crime foram denunciados à Justiça pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) em julho do ano passado. De acordo com o processo, o fazendeiro Délcio Nunes e o vaqueiro Ricardos Neves teriam recebido R$ 10 mil pela execução de Fábio Santos. A contratação teria sido intermediada pelos vaqueiros Arenaldo Novais da Silva e Neuton Muniz da Silva. Para o MP-BA, os mandantes são o fazendeiro Welder Leonardo Gusmão e o comerciante Márcio Fabiano Cunha Borges. Segundo as investigações, Fábio Santos foi assassinado por causa de sua luta em defesa da reforma agrária no sudoeste da Bahia. (Pimenta)