Ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão (Foto: EBC)

Investir na cultura e na economia criativa brasileira é “bom senso” e um eventual fim da Lei Rouanet seria “muito ruim para a cultura brasileira”, disse o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, nesta segunda-feira (5). “Acho que há no nosso país uma grande dificuldade não só do governo, mas também da sociedade, de perceber a força das atividades culturais e criativas, que muitas vezes são vistas como algo secundário ou festivo, sem que haja um reconhecimento social da importância do investimento público e privado nessa área”, disse o ministro. Na sequência, ele comentou o possível fim da Lei Rouanet no governo de Jair Bolsonaro. “Espero sinceramente que isso não aconteça. Será muito ruim para a cultura brasileira. Mais de 53 mil projetos de todas as áreas da cultura aconteceram [via lei]. Os tais projetos de artistas consagrados correspondem a 1% disso, ou seja, é uma parte muito pequena do que a Lei Rouanet representa. O ministro afirmou ainda que graças à lei, “mais de R$ 17 bilhões foram injetados na nossa economia criativa, contribuindo para a geração de renda, a geração de emprego e inclusive para aumento de arrecadação tributária. Duvido que havia outro programa com mais rigor e mais transparência que a Lei Rouanet. Todas as informações estão disponíveis via site.” (Folha)