Kaçulo tem as contas de 2017 reprovadas pelo TCM (Foto: Ubatã Notícias)

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) rejeitou, nesta terça-feira (20), as contas do prefeito de Gongogi, Edvaldo dos Santos, relativas ao exercício de 2017. O gestor extrapolou o limite máximo estabelecido para despesa com pessoal, o que comprometeu o mérito das suas contas. Por essa irregularidade o prefeito foi multado em valor equivalente a 12% dos seus subsídios anuais. Também foi imputada multa de R$8 mil pelas demais irregularidades identificadas nessas contas. A despesa com pessoal atingiu 72,02% da Receita Corrente Liquida, ultrapassando o limite definido em 54%. O gestor também foi punido por descumprir determinações de inscrição de débitos na dívida ativa municipal e sua cobrança. Após a análise do Portal da Transparência da Prefeitura, o relator recomendou que a administração promova as melhorias necessárias, para que seja cumprido o disposto em lei. O gestor ainda foi advertido que, conforme informações do Ministério Público Federal, os municípios com transparência não satisfatória estarão sujeitos à ação civil pública. Em tempo, a Prefeitura de Gongogi é a recordista na Bahia de contas rejeitadas e teve as últimas 20 contas reprovadas pelo TCM. A última conta aprovada ocorreu no distante 1997, na gestão do ex-prefeito Roque Monteiro. (Ubatã Notícias)