Dados são do Conselho Nacional de Justiça (Foto: Divulgação)

“Autor de latrocínio contra assessor da Prodeb é preso em Santa Catarina”, “Noivo é preso uma semana antes do casamento por ligação com facção”, “Líder do BDM na Bahia é capturado em São Paulo”, e “Empresário é preso em Salvador por sonegação de impostos”. Apesar das manchetes do Correio atestarem os esforços da polícia para prender os criminosos, a Bahia ainda tem quase 8 mil mandados de prisão em aberto. O número equivale à população inteira do município de Nova Fátima. No Brasil, são 294 mil pessoas nesta situação. Os dados são do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e colocam a Bahia  na 4ª posição entre os nove estados do Nordeste em número de procurados, atrás do Ceará (15.003), Pernambuco (11.350) e Maranhão (8.958). Na comparação nacional, o estado fica no 14º posto no ranking.  Em abril deste ano, Cléber Santos da Silva, 36 anos, estava fazendo os últimos preparativos para o próprio casamento que seria realizado na semana seguinte, mas precisou adiar os planos. Por volta das 6h, ele  levou um susto ao abrir a porta do apartamento em que morava, no Morumbi, em São Paulo, e dar de cara com investigadores da Polícia Civil da Bahia. Segundo os investigadores, ele e outro preso no mesmo condomínio lideravam um braço da facção Bonde do Maluco (BDM) e estavam foragidos do Complexo Penitenciário da Mata Escura. *Ler mais no Correio.