Índio e Banguelo são suspeitos da morte do motoboy (detalhe) (Foto: PC-BA)

A Polícia Civil prendeu dois suspeitos de participar da morte do motoboy Edgar João dos Santos Filho, de 36 anos, em Ilhéus. O latrocínio, roubo seguido de morte, foi cometido na noite do dia 22 de julho, na ladeira de acesso ao Condomínio Morado do Porto, no Banco da Vitória. Para atrair a vítima, o criminoso pediu uma corrida ao residencial localizado às margens da Rodovia Ilhéus-Itabuna. Agentes da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos cumpriram mandado de prisão contra Jonas Santos Pereira, o Índio, e Wanderson de Oliveira, o Banguelo, nesta segunda (12). À Polícia Civil, Wanderson disse que, no dia do crime, Jonas teria lhe pedido que guardasse uma arma. Ainda segundo o relato de Wanderson, vulgo Banguelo, Índio assumiu ser o autor do latrocínio contra o motoboy. De acordo com o relato feito pelo atirador, a vítima teria reagido ao anúncio de assalto e levou um tiro, caindo ao chão em seguida. O Índio fugiu com a moto e a escondeu no Banco da Vitória. A arma, supostamente utilizada no crime, seria resgatada depois, por uma terceira pessoa, identificada apenas como Cascão. Enquanto Banguelo reforça a participação do comparsa no crime, Índio nega que tenha sido o autor do disparo que matou o motoboy. A moto de Edgar foi localizada. (Pimenta)