Teste rápido de sífilis, HIV e hepatites detecta vírus no organismo (Foto: Reprodução)

Um balanço feito pela prefeitura de Feira de Santana, a cerca de 100 km de Salvador, aponta que 160 pessoas foram diagnosticadas com HIV, vírus que provoca a aids, no primeiro semestre deste ano, no município. O número equivale a quase a metade do que foi registrado em todo anos de 2018, quando, de acordo com a prefeitura, 360 casos foram computados pelo Programa Infecção Sexual Transmissível/DST/Aids, que atua na área. Conforme a prefeitura, as pessoas diagnosticadas com o vírus se submeteram ao teste rápido, cujo resultado é apresentado em meia hora, e ao exame sorológico, que demanda alguns dias para que o resultado seja apresentado. De acordo com os dados, a maioria dos novos pacientes é formada por homens com idades entre 21 e 30 anos, que se declaram heterossexuais e não usaram preservativo na relação sexual. Segundo a prefeitura, após o diagnóstico, o paciente passa a receber orientação médica. O tratamento é iniciado imediatamente. Em Feira de Santana, de acordo com a prefeitura, mais de 2,8 mil pessoas estão em tratamento pela rede pública, com antirretrovirais. O medicamento, que é usado no tratamento do HIV, mantém a carga viral indetectável, permitindo que o organismo se recupere, além de garantir a qualidade de vida do paciente. (G1)