O Comitê avalia que a consolidação do cenário benigno (Sérgio Lima/Poder360)

O Banco Central melhorou ligeiramente sua projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil a 0,9% em 2019, contra 0,8% antes, e estimou que a economia terá expansão de 1,8% em 2020, segundo Relatório Trimestral de Inflação (RTI) publicado nesta quinta-feira. Segundo o BC, a perspectiva para o próximo ano, divulgada pela autoridade monetária pela primeira vez, está envolta em “elevado grau de incerteza” e está também condicionada à continuidade das reformas e ajustes na economia. Em relação à estimativa deste ano, o BC ponderou que o resultado melhor que o esperado para o PIB do segundo trimestre favoreceu o carregamento estatístico para 2019, contribuindo para a revisão para cima. “A projeção ora apresentada considera ritmo de crescimento ainda lento no terceiro trimestre, em linha com indicadores coincidentes divulgados até o momento, e aceleração no quarto trimestre, para a qual deve contribuir o impulso das liberações extraordinárias de recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do Programa de Integração Social (Pis)/Programa de Formação de Patrimônio do Servidor Público (Pasep)”, assinalou o BC no relatório. No documento, o BC também reiterou sua mensagem de que vê espaço para continuidade no ciclo de redução da Selic, após ter cortado a taxa de juros em 0,50 ponto percentual mais cedo neste mês, à mínima histórica de 5,50% ao ano. “O Comitê avalia que a consolidação do cenário benigno para a inflação prospectiva deverá permitir ajuste adicional no grau de estímulo (monetário)”, disse. (Reuters)