O navio Bouboulina, da empresa grega Delta Tankers

A Delta Tankers, dona do navio grego suspeito de ser a fonte do maior desastre ambiental da história do Nordeste, afirmou que ainda espera que o Brasil mostre evidências de que o óleo é deles. Ao UOL, um representante da armadora disse nesta tarde que “só soube do caso, até agora, pela mídia”. “Adoraríamos auxiliar o governo brasileiro nessa investigação, mas não fomos contatados ainda”, afirmou Mark Clark, porta-voz da empresa. “Oficialmente, não temos conhecimento da investigação do suposto envolvimento do navio no vazamento de óleo”, disse a empresa, proprietária do navio petroleiro Bouboulina, apontado na última semana pelo governo brasileiro como principal suspeito por ter derramado óleo. “Não temos conhecimento de nenhum incidente envolvendo nosso navio na costa do Brasil”, afirmou o representante.Um comunicado publicado no site da empresa afirma também que foram realizadas “buscas de materiais das câmeras e dos sensores”, e que não há provas de que o navio tenha parado, desacelerado ou derramado óleo enquanto navegava pela costa brasileira.  (DCM)