Foto: Sérgio Lima/Poder 360

O presidente Jair Bolsonaro rebateu com uma pergunta quando questionado sobre a cotação do dólar, que fechou  em R$ 4,2055 nesta segunda, o maior valor nominal (sem contar a inflação) da história do Plano Real. “Quer o telefone do Roberto Campos?”, questionou ao ser abordado por jornalistas na entrada do Palácio da Alvorada, residência oficial. Roberto Campos Neto é presidente do Banco Central. No Brasil, o regime cambial é o chamado flutuante, com o valor da moeda subindo ou caindo de acordo com as condições de mercado. Em 1994, no início do Plano Real, o regime era fixo, ou seja, com um valor estipulado pelo Banco Central. Em meio a uma crise cambial e com as reservas em dólares do Brasil esvaziadas, em janeiro de 1999 o BC emitiu um comunicado: “a partir de hoje, o Banco Central deixará que o mercado interbancário defina a taxa de câmbio”. Na prática, isso era uma permissão para que os bancos comprem e vendam dólares entre si, sem o intermédio ou intervenção do BC. O valor do dólar em relação ao real deixou de ser a principal forma de controle inflacionário e seu valor passou a oscilar de acordo com a oferta e a demanda do mercado. Leia mais