Felipe (à direita) confessou envolvimento na morte da nutricionista Luma.

A Polícia Civil ouviu, no domingo (8), em Itabuna, Felipe Jesus Santos, de 18 anos, que confessou ter participado do latrocínio (roubo seguido de morte) na fazenda da família do marido da nutricionista Luma Layne. Ela foi assassinada a tiros. O crime ocorreu por volta das 23h30min da última sexta-feira (6), numa região conhecida como Cachorro Assado, na zona rural de Camacan. Em depoimento gravado, Felipe Jesus afirmou que ele e os dois comparsas foram até o local roubar um carro. “Eu estava precisando de dinheiro para curtir esse final de ano. Aí, eles falaram que, se roubasse (sic) esse carro, iriam vender e eu ficaria com uma parte do dinheiro”, disse o acusado. Felipe Jesus afirmou que conhecida o dono da fazenda onde ocorreu o crime. O acusado contou que já tinha trabalhado, junto com pai, na propriedade de Pedro Gomes de Faria Junior, marido de Luma Layne. Pedro Gomes foi amarrado em uma parte da casa, mas conseguiu se soltar acionar a polícia. Felipe Jesus disse que o comparsa conhecido como Gongão fez os disparos que mataram a nutricionista porque ficou apavorado. Gongão morreu no confronto com a polícia no bairro Portelinha, ontem. O terceiro suspeito ainda está sendo procurado. Felipe Jesus foi liberado depois de prestar depoimento. (Pimenta)