Polícia prende o terceiro acusado de matar nutricionista em Camacan

Mais um suspeito de envolvimento na morte da nutricionista Luma Layne Fernandes Silva, de 25 anos (lembrar), foi preso pela polícia, na noite de segunda-feira (9). José Soares da Silva Júnior, o Neguinho de 23 anos, foi detido numa casa, na rua Barão do Rio Branco, perto da rodoviária de Camacan, e confessou participação no latrocínio (roubo seguido de morte) na noite de sexta-feira (6), em um sítio na região conhecida como o Cachorro Assado. José Soares contou que o comparsa Filipe Jesus dos Santos, 19 anos, disse que seria fácil roubar um veículo da propriedade onde estavam Luma Layne e o companheiro dela, Pedro Gomes de Faria Junior, que foi amarrado e espancado pelos criminosos. “ A gente foi para pegar o carro. Quando a gente foi para pegar aconteceu isso, de atirar na mulher”, disse Soares, demostrando muita frieza. José Soares alegou que quem atirou na vítima foi comparsa que morreu no confronto com a polícia no final de semana. “Quem atirou foi o que morreu. A gente só queria pegar o carro para fazer um dinheiro”.

Nutricionista de 25 anos é morta a tiros durante assalto a sítio no sul da Bahia

Ele também confessou que é foragido do Conjunto Penal de Teixeira de Freitas, onde beneficiado com indulto, mas nunca mais retornou. Segundo a polícia,  Luma Layne foi baleada na barriga e morreu no local. Já o companheiro dela,  Pedro Gomes levou uma coronhada na cabeça e teve ferimentos nos pés, pernas, barriga e nas mãos. Mesmo muito ferido,  conseguiu acionar a polícia, que poucas horas depois chegou aos criminosos. Os bandidos levaram o carro do casal, um celular e outros objetos do sítio da família. Além de José Soares, Felipe Jesus Santos se apresentou à polícia, confessou participação no crime e foi liberado por não ter sido detido em flagrante, mas já foi solicitada a prisão dele. Um terceiro suspeito conhecido como Gongão morreu em confronto com os policiais. (Pimenta)