Foto: Agência Câmara

O deputado federal Marco Feliciano (SP) foi expulso do Podemos em decisão tomada hoje pelo diretório do partido em São Paulo. Cabe recurso à Executiva Nacional, que diz que o diretório estadual não tem competência para expulsá-lo. O Podemos cita aspectos da conduta “ética e moral” de Feliciano para embasar a decisão de expulsá-lo, de acordo com um documento elaborado pelo partido e assinado pelo presidente da sigla no estado, o vereador paulistano Mário Covas Neto. A reportagem pediu um posicionamento sobre a decisão em mensagens enviadas a Feliciano e à sua assessoria, mas não obteve retorno até o momento. De acordo com o documento assinado por Covas, Feliciano não teve o “espírito partidário inerente e necessário”. O texto diz que o “Conselho de Ética e Disciplina opinou pela imposição da penalidade de expulsão”. O documento do Podemos também cita a utilização de “recursos públicos para fins particulares” por parte de Feliciano, fazendo menção a um caso específico em que o deputado utilizou verba pública para pagar um tratamento dentário. Em agosto, o jornal Estado de S. Paulo revelou que Feliciano foi reembolsado em R$ 157 mil pela Câmara por conta da correção de um problema na mandíbula e para reconstrução de seu sorriso o com coroas e implantes. Leia mais