A mãe do comerciante Danilo Ribeiro Moraes – Cleonice Lima Ribeiro – deu um comovente depoimento ao Ubatã Notícias. Em vídeo, a mãe do jovem assassinado pelo cigano Laércio da Costa Dantas narra a angústia que tem vivido. “Danilo é meu filho amado e eu amo muito meu filho. Eu peço a Deus que conforte o meu coração, conforte a minha alma e que faça Justiça. Gente, pelo amor de Deus, meu filho não vai mais estar aqui na terra. Ele estava se preparando para casar. Ele tinha tudo pela frente, gente. Tudo. Ele era muito amado. Oh meu Deus, por que este homem fez isso? Eu não sei entender, meu pai. Eu espero a Justiça de Deus”, destacou Cleonice, que ainda completou: Têm muitas mães passando por isso que estou passando, e a dor é muito forte, mas eu peço a Deus calmaria para mim e para mim família”, encerrou sob forte emoção.

“ELE ERA MEU AMIGO, MEU FILHO”, DIZ PAI DE DANILO

 

O pai de Danilo – Raimundo José Costa de Moraes – lembrou um pouco da história do filho. “Danilo é um menino especial. Sempre tive um comércio e ele já me ajudava a despachar. Sempre estudando, se formou. Ele trabalhava comigo nas vendas na região. Danilo fez curso de bombeiros, fazia amizade com todo mundo. Ele é meu amigo, meu filho, guerreiro. A gente saia 3h da manhã para Maraú para fazer as vendas. A gente trabalhava o dia todo”, destacou Raimundo, que ainda emendou: “Meu filho era uma pessoa respeitadora, amável, nunca tomou um tapa de ninguém, nunca deu um tapa em ninguém. Praticava esportes. Antes de sair me beijava na testa, beijava a mãe. Praticou Karatê, Vôlei, Taekwondo. Eu quero justiça pelo aconteceu com meu filho”, enfatizou.

“NÃO ESQUEÇAM DE DAN”, PEDE IRMÃO DANIEL RIBEIRO

Um dos irmãos de Danilo – Daniel Ribeiro – também falou ao Ubatã Notícias e enfatizou o amor pelo irmão: “Eu agradeço pelo privilégio de ter Danilo como meu irmão. Sempre me amou, sempre esteve comigo, sempre cuidou de mim. Nós éramos diferentes socialmente. Ele tinha mais amizades que eu, fazia coisas diferentes, mas quando a gente estava em casa a gente conversa sobre a vida, sobre relacionamentos e eu via como a gente era parecido um com o outro. Ele era um rapaz de bem e sempre esteve junto comigo. Me falta palavras, pois eu acordei com o coração doendo, pois ele não está mais aqui. A Justiça será feita. Convoco a população de Ubatã, que não esqueça de Dan”, destacou Daniel, que chegou a publicar um poema em homenagem ao irmão.

CRIME CHOCOU A COMUNIDADE UBATENSE

Danilo Ribeiro era muito querido em Ubatã e região (Foto: Divulgação)

O assassinato do jovem comerciante Danilo Ribeiro Moraes chocou a comunidade ubatense. O jovem foi alvejado por quatro tiros de pistola calibre 380 no último domingo (08) num bar localizado no bairro São Raimundo. O acusado do crime é o cigano Laércio Dantas da Costa. Segundo testemunhas, Danilo teria esbarrado no cigano, pedido desculpas, mas o cigano não aceitou. Momento depois, com arma em punho, o criminoso se aproximou da vítima e deflagrou os disparos. Ainda de acordo com testemunhas, Laércio foi impedido por um homem não identificado de continuar atirando.

Laércio é o autor dos disparos que matou comerciante (Foto: Divulgação)

Danilo ainda chegou a ser socorrido ao Hospital de Ubatã, transferido para o Hospital de Base, em Itabuna, onde passou por duas cirurgias, mas acabou falecendo no Hospital Costa do Cacau, em Ilhéus. Desde então o assassinato vem tendo ampla cobertura da imprensa baiana e a manifestantes já interditaram a BR-330 por três dias seguidos: quinta, sexta e sábado. A Polícia Civil pediu a prisão preventiva do suspeito e a população aguarda agora que a Justiça decrete a prisão. (Ubatã Notícias)