Policiais relatam que se protegeram de dois tiros durante operação (Foto: SSP-BA)

Policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) da Bahia relataram em depoimento à polícia que se protegeram de dois tiros durante a operação que terminou com a morte do miliciano Adriano Magalhães da Nóbrega, na cidade de Esplanada. Conforme a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), o Departamento de Polícia Técnica (DPT) da Bahia analisa o escudo usado na ação. Ainda segundo a SSP, a perícia da Coordenação de Engenharia Legal vai identificar o material que causou os danos no escudo.

DPT vai analisar escudo utilizado por PM (Foto: Divulgação/SSP-BA)

“Olhando preliminarmente, enxergamos duas marcas provenientes de impactos relevantes. As equipes agora analisarão se existem fragmentos de chumbo ou cobre, presentes em projéteis”, explicou o diretor do DPT, Élson Jeffesson, em nota divulgada pelo órgão. De acordo com a SSP, a perícia feita no corpo de Adriano da Nóbrega apontou duas perfurações por arma de fogo, nas regiões entre o pescoço e a clavícula, além do tórax. O resultado dos outros laudos serão entregues ao Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco). *Ler mais.