Estabelecimento do Ceará também vendia produto sem nota fiscal

A proprietária de uma farmácia no Ceará tentou se aproveitar do coronavírus para hiperinflacionar o preço do álcool gel em seu estabelecimento, saltando de R$ 1,99 para R$ 11,99. O resultado? A “espertinha” acabou presa na manhã desta quarta-feira (18) pela prática abusiva. Segundo o G1, além de ter adicionado um 1 na etiqueta, a dona ainda vendia o produto sem nota fiscal. E, para piorar, o álcool gel vendido por lá era de procedência duvidosa. Isso porque proprietária confessou a que comprava frascos menores e vazios para enchê-los com álcool em gel, comprado sem procedência comprovada. Em seguida, revendia os frascos por preços superiores à média dos produtos e sem justa causa. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública do Ceará, após receber denúncias anônimas sobre o aumento do preço no estabelecimento, policiais civis foram ao local e constataram a prática considerada abusiva pelo Código de Defesa do Consumidor. Ela foi autuada em flagrante por crime contra a economia popular, devido ao preço abusivo do praticado por ela – e contra a ordem tributária, por não fornecer ao cliente nota fiscal da compra. (Correio)