Presidente dos Estados Unidos, Donal Trump (Foto: Divulgação)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nessa quarta-feira (24) que não deve se precipitar para pôr fim às medidas de isolamento por conta do coronavírus no país que atingem quase a metade do país. “Não vou fazer nada precipitado ou apressado”, disse Trump. “Eu não faço isso.” Ele sinalizou que o governo dos EUA deve repensar sua estratégia após o fim dos 15 dias de isolamento. Em uma entrevista coletiva na Casa Branca, ele reforçou que ainda com o retorno às atividades ainda manteria o distanciamento social. “Quero recuperar nosso país”, disse o presidente dos EUA. “Ninguém vai sair por aí nos escritórios se beijando ou abraçando, mesmo que sintam vontade.” Trump disse também que vai assinar um alívio fiscal como resposta aos efeitos econômicos da pandemia “imediatamente” assim que chegar à sua mesa e que não teria problemas em voltar a pedir mais dinheiro para o Congresso. Senadores republicanos e democratas e a Casa Branca chegaram nesta madrugada a um acordo sobre um plano federal de estímulos de US$ 2 trilhões para aliviar as consequências da pandemia do coronavírus sobre a economia do país. O pacote deverá auxiliar trabalhadores, empresas e o sistema de saúde. “Por fim, temos um acordo”, afirmou o líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, antes de citar um “nível de investimentos de tempos de guerra”. O valor equivale a aproximadamente R$ 10,2 trilhões, o que representa um montante maior do que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em valores correntes, que em 2019 totalizou R$ 7,3 trilhões. *Ler mais.