Área em vermelho mostra onde estão sendo construídos quiosques (Foto: Bruno Dias)

A empresa Engelc Construções Eireli, responsável pela reconstrução da Praça Ruy Barbosa, cogitou, em ofício encaminhado à Prefeitura de Ubatã nesta segunda-feira (21), a rescisão de contrato em virtude da paralisação da obra por tempo indeterminado. A paralisação ocorreu após polêmica sobre a construção dos quiosques no entorno da praça. Explica-se: o padre Marcos Alcântara encampa um movimento para mudar os quiosques do local, que na visão do pároco poderia atrapalhar as programações da igreja e supostamente gerar conflitos no futuro (lembrar). No ofício encaminhado à gestão municipal, a Engelc lembrou que a obra vinha sendo tocada a contento e cumprindo os prazos de execução, mesmo com alguns obstáculos surgidos, a exemplo do excesso de chuvas, crescimento dos casos de covid-19 no município e o aumento assustado dos preços de material da construção, a exemplo do cimento que saltou de R$ 22,00 no início da obra para R$ 30,00 e do bloco, de R$ 380,00 para R$ 800,00.

Praça Ruy Barbosa está com obras paralisadas (Foto: Ubatã Notícias)

“[…] ratifico que não havendo data estabelecida, o impacto indelével em nosso planejamento será imponente; o que caminha na perspectiva de possível rescisão de contrato. […] Ressaltamos que a suspensão da execução da bora sem justa causa acarreta o pagamento à empresa das despesas e lucros relativos aos serviços já feitos, bem como indenização razoável, calculada em função do que teria ganho, se concluída a obra, como também perdas e danos”, diz trecho do ofício. Em tempo, a Prefeitura deve se reunir ainda esta semana com representantes da empresa para tomada de decisão. (Ubatã Notícias)