Aldo Carneiro foi candidato a vice-prefeito em Luís Eduardo Magalhães

Aldo Carneiro Dourado, candidato ao cargo de vice-prefeito pelo PL, em Luís Eduardo Magalhães, no oeste da Bahia, alvo de uma operação da Polícia Federal nesta quinta-feira (26) com objetivo de apurar suposto esquema de corrupção eleitoral, no último pleito, vai responder pelo crime em liberdade. Segundo a PF, ele é suspeito de receber dinheiro para desistir da candidatura, anulando a chapa, deixando que a disputa ficasse entre apenas dois candidatos, como ocorreu. A produção da TV Bahia tentou contato com Aldo, mas não conseguiu. Ainda de acordo com a PF, o candidato foi localizado na cidade de João Dourado, mas o mandado de prisão preventiva, que havia contra ele, foi relaxado pela Justiça Eleitoral porque ele está colaborando com as investigações.

Os mandados foram expedidos pela Justiça Eleitoral de Luís Eduardo Magalhães

A PF detalhou que a Operação Desertor cumpriu quatro mandados de busca e apreensão, outros quatro mandados de busca e apreensão de aparelhos celulares e um de prisão preventiva. Os mandados foram expedidos pela Justiça Eleitoral de Luís Eduardo Magalhães, e foram cumpridos na cidade e em João Dourado, também no oeste da Bahia. Conforme apontam as investigações, que tiveram início em 12 de novembro, foram revelados indícios de que os envolvidos receberam propostas em dinheiro para abandonarem o partido ao qual pertenciam, com o objetivo de polarizar a disputa eleitoral entre dois candidatos. “A retirada por parte de dos candidatos aconteceu devido a um suborno envolvendo bens e valores. O processo judicial está em andamento e o inquérito policial vai robustecer esse processo de maiores elementos para que o juiz decida”, disse Emerson Fonseca delegado da Polícia Federal. (G1)