Hacker Walter Delgatti Neto suspeito de invadir celulares de autoridades (Foto: Divulgação)

O hacker Walter Delgatti Neto, suspeito de invadir o celular do ex-ministro Sergio Moro e outras autoridades, disse que a Operação Lava Jato tentou prender os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes e Dias Toffoli. Em entrevista à CNN Brasil, ele destacou que esse era um dos objetivos dos investigadores*. “Eles queriam. Eu não acho, eles queriam. Inclusive Gilmar Mendes e Dias Toffoli. Eles tentavam de tudo pra conseguir chegar ao Gilmar Mendes e ao Toffoli, eles tentaram falar que o Toffoli tentou reformar o apartamento e queria que a OAS delatasse o Toffoli, eles quebraram o sigilo do Gilmar Mendes na Suíça, do cartão de crédito, da conta bancária dele, eles odiavam o Gilmar Mendes, falavam mal do Gilmar Mendes o tempo todo”, disse Delgatti. Por outro lado, se esses dois ministros eram alvo dos membros da força-tarefa, o hacker aponta que eles tinham no também ministro da Corte, Luís Roberto Barroso, um aliado. “Eles tinham um laço bem próximo. O Barroso e o Deltan [Dallagnol, ex-procurador da Lava Jato] conversavam bastante, (sobre) vida pessoal. Inclusive o Barroso, em conversas, auxiliava o que colocar na peça, o que falar. Um juiz auxiliando, também, o que deveria fazer um procurador”, exemplificou o hacker. Em nota à emissora, Barroso disse que a declaração do hacker é mentirosa. *Ler mais.