Audiência
Ubatã FM
Clima


Fotos Ubatã Notícias

Fotos Vinícius Machado/Ubatã Notícias

Fotos Divulgação

Pérolas

1 Eu gosto de corromper, não de ser corrompido (Repete para a gente ouvir Rsrsrs)

2 Vou criar um site (A Prefeitura já tem um portal, uiuiuiu….)

3 Estamos fazendo um campanha sem dinheiro (Essa é boa, precisa ensinar a mágica)

4 Vamos financiar cursos de Medicina (E também de gestão pública, alfabetização…)

5 Vamos motorizar a guarda municipal (Será?)

6 A conta do Fundeb recebe muito dinheiro (Os professores que o diga)

7 Se eu ganhar doarei um terreno para construir um parque industrial (Se não ganhar… nem precisa falar o que acontecerá)

8 Não acharam nada contra a minha administração (Melhor nem comentar)

9 Vou dar apoio a Plataforma Freire (Sim… vai…)

10 É melhor não continuar…

Fotos

Lupa do Ubatã Notícias

EDSON NEVES (PSD)

O prefeito Edson Neves (PSD) teve uma participação interessante no debate, isso porque evitou entrar num embate duro com os adversários políticos. Pelo contrário, o gestor quis, inclusive, estabelecer um ponto de convergência entre as suas propostas e a de seus oponentes. Em determinados momentos, Neves conversava tranquilamente com os seus adversários. A respeito dos pontos críticos de seu governo, como a saúde, o gestor tratou de generalizar o problema, dizendo que era um problema não peculiar apenas a Ubatã, mas a todo o Brasil. Participação segura e tranquila.

EXPEDITO RIGAUD (PSB)

Começou o debate um pouco nervoso, mas foi ganhando tranquilidade e confiança. Buscou evidenciar suas propostas de governo, mas foi um pouco prejudicado, isso porque entrou num embate com alguns candidatos e teve de passar parte do tempo se defendendo. Quis colocar a sua principal oponente, Rosana Magalhães (PTB), “nas cordas”, mas esta foi beneficiada, pela ordem das perguntas, e acabou sempre ficando com a tréplica e dando a resposta final. No geral, teve uma boa participação, mostrou preparo, traçou algumas metas e propostas de seu governo e passou sem problemas pelo crivo das perguntas.

GUIORMANDO TAVARES (PRB)

Talvez tenha sido o principal nome do debate, não pela apresentação de propostas, mas por alfinetar constantemente os adversários, principalmente Expedito Rigaud. Em relação aos outros adversários, as críticas de Guiormando foram bem mais tímidas e, em alguns momentos parecia mais uma “conversa de compadre”. Demonstrou razoável conhecimento sobre as finanças do município, mas praticamente não falou, a não ser por citações indiretas, sobre a gestão Edson Neves, com quem passou boa parte do debate conversando. No geral, teve uma participação marcante.

MANOEL BARRETO (NEU) (PSDC)

Mesmo com o seu jeito simples de homem do campo, o candidato foi o único entre os seus adversários que dedicou todo o tempo do debate para apresentar propostas de governo. Demonstrou conhecimento sobre a situação geral do município, mas a exemplo dos demais candidatos também pecou a apresentar propostas, pois imperou o discurso do “vou fazer”, mas nada se falou de “onde vão retirar os recursos para tanto”. A participação de Neu foi discreta, mas de positivo ficou a sua intenção de discutir propostas, e não de atacar os adversários.

ROSANA MAGALHÃES (PTB)

A participação de Rosana no debate foi uma surpresa, quem esperava uma candidata totalmente nervosa e insegura se frustrou. Em alguns momentos demonstrou até certo nervosismo, mas conduziu bem o embate com os adversários. A candidata utilizou uma estratégia de citar a gestão de Dai da Caixa, seu esposo, apenas quando relacionada a coisas positivas. Quando questionada sobre as principais falhas, muitas delas graves, saia pela tangente e dizia que ela era a candidata. No geral, o grande mérito da sua participação foi ter demonstrado razoável segurança e não ter se deixado intimidar pelos adversários, mas as suas propostas de governo, a exemplo da maioria de seus adversários, foram vagas.

Fotos Vinícius Machado

Fotos Vinícius Machado/Ubatã Notícias

Fotos Vinícius Machado/Ubatã Notícias

Documentos

Documentos

Decisão TSE

Decisão TSE

Fotos Divulgação

Fotos Divulgação

Fotos Ubatã Notícias

Traficante Sinho – Está foragido

Droga e dinheiro apreendido

Fotos Ubatã Notícias

Fotos Hélisson Santana/Ubatã Notícias

Extrato do ICMS

icms de hoje

Sol Variedades

100_0914

100_0915 100_0916 100_0917 100_0918 100_0919 100_0920 100_0921 100_0922 100_0923 100_0924 100_0925 100_0927 100_0928 100_0929 100_0930 100_0932

 

Fotos Divulgação

Fotos Vinícius Machado/Ubatã Notícias

Fotos Hélisson Santana/Ubatã Notícias

Áudio da Senadora Lídice da Matta

091612384100

Áudio de Expedito

091612290500

Fotos Vinícius Machado/Ubatã Notícias

Discurso de Marcos Aurélio

091523341800

Áudio Janete do PT

091420323500

Foto: Giro em Ipiaú

Zé tinha 5 passagens pela Polícia

Ibirapitanga: Câmara vota segunda subsídios de novos vereadores e prefeito

Vereadores devem ter salários de R$ 4,5mil e prefeito, R$ 14mil

A Câmara Municipal de Ibirapitanga deve votar (e aprovar), nesta segunda-feira (17), cumprindo as Instruções 01/2006 e 01/2011 do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), o Projeto de Lei que aumenta os salários dos próximos vereadores, dos secretários municipais, do prefeito e também do vice-prefeito.

Caso a Projeto de Lei seja aprovado, os vereadores que começarão o novo mandato em 2013 passarão a receber R$ 4,5 mil; os secretários municipais R$ 4mil, o prefeito ibirapitanguense terá salários equivalentes a R$ 14mil e o vice, R$ 7mil. O projeto deverá passar sem problemas no legislativo ibirapitanguense.

“Colocaremos o projeto logo em apreciação em respeito ao princípio constitucional da impessoalidade, que assevera que os subsídios dos novos vereadores, secretários municipais, prefeito e vice-prefeito devem ser aprovados antes da realização do pleito municipal”, diz o presidente da Câmara, o edil Getúlio Pinto, lembrando ainda que o subsídio de um parlamentar pode ter variação entre 20% e 75% do que recebe um deputado estadual baiano.

Redação Ubatã Notícias

Artigo 14 – Constituição Federal

§ 7º – São inelegíveis, no território de jurisdição do titular, o cônjuge e os parentes consangüíneos ou afins, até o segundo grau ou por adoção, do Presidente da República, de Governador de Estado ou Território, do Distrito Federal, de Prefeito ou de quem os haja substituído dentro dos seis meses anteriores ao pleito, salvo se já titular de mandato eletivo e candidato à reeleição.