A Gillette tem se especializado nos últimos meses a remover barbas famosas como estratégia de marketing dos seus produtos. Depois de “limpar a cara” do cantor Bell Marques, por R$ 2 milhões, e convencer o governador Jaques Wagner por R$ 500 mil, a serem aplicados na Bahia pelo Instituto Ayrton Senna, eis que a empresa agora quer aplicar a técnica do “tchan” e “tchum” no ex-presidente Lula. De acordo com a coluna Tempo Presente, do jornal A Tarde, o maior entrave é o dinheiro, já que, conforme petistas teriam afirmado, o negócio será “fio a fio”. Já o senador Walter Pinheiro (PT) não foi convidado a retirar os pelos do rosto, mas deu a deixa: “Se a Gilette se interessar, estamos aí”.

Fonte: IG