Flor é pendurada do lado de memorial que lista nomes de 44 residentes do condado de Nassau que foram vítimas dos atentados de 11 de Setembro de 2001, em Nova York

O Conselho de Segurança da ONU saudou nesta segunda-feira (2) a morte do líder da rede al-Qaeda, Osama Bin Laden, e o secretário-geral Ban Ki-moon afirmou que a morte foi um ‘divisor de águas’ na luta contra o terrorismo.

Em uma rara ocasião na qual “celebrou” a morte de uma pessoa, o grupo composto por 15 nações afirmou que a operação militar americana no domingo significa que Bin Laden “nunca mais poderá praticar atos de terrorismo” como os ataques de 11 de setembro de 2001.

A ação que resultou na morte de bin Laden foi efetuada por forças americanas no Paquistão, na madrugada desta segunda-feira (2). Segundo um assessor da Casa Branca, ele estava armado e foi morto durante uma troca de tiros com as forças americanas.

A Casa Branca ainda informou que ainda não decidiu se vai liberar ou não algum registro fotográfico que comprove a morte de bin Laden.

O assessor da Presidência disse ainda que é possível afirmar “com 99.9% de certeza” que o homem morto numa mansão fortificada no Paquistão é Bin Laden e que documentos encontrados no local estão sendo examinados.

Fonte: G1