Por Clemilson Ribeiro

A idéia já foi debatida em outras oportunidades, com a possibilidade de criar o Estado de Santa Cruz, ou Bahia do Sul, em uma área que abrangeria as regiões do Baixo Sul, Centro Sul, Sudoeste, Extremo Sul e parte do Oeste da Bahia. Só para se ter uma idéia algumas cidades importantes pertenceriam ao novo Estado, dentre elas, Valença, Jequié, Ipiaú, Itacaré, Maraú, Vitória da Conquista, Itaberaba, Barreiras, Luiz Eduardo Magalhães, Bom Jesus da Lapa, Guanambi, Brumado, Itapetinga, Itabuna, Ilhéus, Eunápolis, Porto Seguro e Teixeira de Freitas.

A última vez em que ocorreu o debate foi na Assembléia Nacional Constituinte, quando da elaboração da Constituição Federal de 1988, em um Projeto de Lei de autoria do ex-prefeito de Itabuna Fernando Gomes.

O projeto foi rejeitado, graças a uma violenta propaganda na mídia elaborada por Duda Mendonça e patrocinada pelo Governo do Estado, Assembléia Legislativa,OAB, etc., com apoio de personalidades de grande prestigio na música e na literatura brasileira, a exemplo de Caetano Veloso, Gilbeto Gil, Maria Betânia, Jorge Amado, Armandinho, Dodô e Osmar, dentre outros.

Naquela oportunidade a máxima usada era, de forma romântica, “alto lá a Bahia ninguém divide”, “Eu quero ser baiano”, “Sou baiano até a morte”… “não é hora de dividir a Bahia”…

Na época, confesso, idealista, militante estudantil na antiga FESPI, atual UESC, e apaixonado pela Bahia e pelos personagens supra, fui para as ruas colher assinaturas contrárias ao projeto para mandar para a Constituinte. EU ERREI. Já pedir desculpas pessoalmente a um dos maiores líderes políticos do Sul da Bahia dos últimos vinte e cinco anos, o já citado Fernando Gomes, e pretendo fazer isso em público, porque A BAHIA PRECISA SER DIVIDIDA, com a criação do Estado de Santa Cruz ou Bahia do Sul, e a hora é agora, pois tramitam no Congresso propostas de Emenda Constitucional prevendo a redivisão do território brasileiro com a criação de vários Estados Federados, como o Estado do Pantanal, Maranhão do Norte e do Sul, dentre outros.

O tema é polêmico e interessante, conclamo a todos que levantem esta bandeira nas escolas, nas igrejas, nas associações e em todos os lugares. Temos condições de criar um Estado independente, forte e rico em recursos hídricos, culturais, econômicos, minerais, agrícola e industriais.

Então podemos dizer: AGORA É HORA DE DIVIDIR A BAHIA. Conversaremos mais sobre o assunto no próximo artigo.