Gazo (à direita) apresentou documentos que comprovariam desvio de verbas da merenda

Entre as notas fiscais apresentadas ao Bahia Notícias pelo ex-fornecedor da prefeitura de Itacaré Josemar Santos, o Gazo, como supostas provas de um esquema de fraude que teria desviado cerca de R$ 100 mil de recursos do Fundeb (ver aqui), uma teria sido utilizada pelo prefeito da cidade, Antonio de Anízio (PCdoB), para sanar uma dívida com um agiota. Segundo Gazo, a nota nº 258, de 16 de junho de 2010, que lista diversos itens alimentícios, foi produzida para pagar os cerca de 20% de um empréstimo tomado de maneira ilegal (a agiotagem é crime no Brasil) junto a Wellington Moreira dos Santos, mais conhecido como Max.
O valor da nota (ver aqui), que foi sacado e entregue ao homem apontado como agiota, conforme a denúncia feita por Gazo à PF e ao MP, é de R$ 5.515,06. O ex-fornecedor disse ter medo de ser assassinado pelo prefeito ou por pessoas citadas nos depoimentos. “Se eu aparecer morto, pode ter certeza que foi uma dessas pessoas”, afirmou. Ainda segundo Gazo, além do alcaide e seus secretários, quatro dos seis vereadores da situação estão envolvidos no esquema de desvio do dinheiro da merenda escolar em Itacaré.
Fonte: Bahia Notícias