Para vereador, maconha pode virar commodity baiana

O vereador doidão Cristiano Alves da Silva Pinto, o Pintão (PMN), do município de Medeiros Neto, no extremo-sul baiano, voltou a defender o plantio e consumo da erva Cannabis Sativa, a maconha. Consumidor da droga há 20 anos, “um (cigarro) de manhã cedo, outro ao meio-dia e mais um de tardezinha”, o vereador destacou que a legalização do plantio por cooperativas poderia ser um vetor de desenvolvimento agrícola para o estado.
Em pronunciamento na Câmara Municipal, destacou haver ótima qualidade na maconha ilegalmente produzida no sertão da Bahia. Para ele, a droga produzida artesanalmente é boa “também para a saúde de quem fuma, pois os traficantes não estão preocupados com a qualidade, colocam química na maconha, o que prejudica, fica ruim”, disse, em entrevista ao jornal A Tarde. “Eu mesmo sou uma prova de que o usuário pode ocupar cargo público ou fazer qualquer atividade”, ressaltou.
Fonte: Bahia Notícias