Operários morreram após inalar fumaça em buraco a 18 metros em garimpo em Campo Formoso

O Ministério Público do Trabalho (MPT) abriu uma investigação para apurar causas e responsabilidades sobre as mortes de dois garimpeiros em Campo Formoso, na região norte da Bahia. Os dois inalaram fumaça tóxica, enquanto trabalhavam em um buraco a 18 metros de profundidade na localidade de Socotó. Segundo o MPT, o garimpo onde ocorreu o acidente de trabalho é ilegal. As vítimas foram identificadas como Sebastião Manoel dos Santos, conhecido por “Panta”, de 46 anos, que morava em Boi Morto, e Zé Leria, do povoado de Tiquara, que não teve a idade divulgada. De acordo com o órgão, assim como eles, outras pessoas atuam na extração ilegal de minério na lavra, que fica a oito quilômetros de área onde a Cooperativa Mineral da Bahia (CMB). Elas receberam autorização para exploração mineral, mas não têm relação com as operações da empresa.

Garimpo fica na localidade de Socotó, em Campo Formoso, região norte da Bahia

O MPT informou que o número de garimpos ilegais na região norte da Bahia preocupa o órgão, que busca identificar e coibir as irregularidades trabalhistas praticadas nesses locais. O órgão afirmou ainda que muitos deles reúnem condições de trabalho degradantes, que expõe garimpeiros a riscos gravíssimos e a relações de trabalho completamente ilegais. Além dos aspectos trabalhistas, há crime de exploração ilegal de minérios, contrabando de minérios e outras atividades ilícitas associadas ao garimpo ilegal. (G1)